Som de Segunda: A Força de Sharon Jones

14495475_10154510294388917_2044393763881081444_nFiquei impressionado quando vi na TV pela primeira vez o clipe de “100 Days, 100 Nights”, especialmente pela força da mulher que estava cantando. Fui atrás e descobri que era Sharon Jones, acompanhada dos Dap-Kings. A partir deste primeiro contato, fiquei algumas semanas obcecado com o disco de mesmo nome e fui conhecendo a história da cantora. Então, na manhã do último sábado, 19, acordei com a triste notícia de que Sharon havia morrido, deixando mais uma grande lacuna na música.

A cantora foi diagnosticada com câncer no pâncreas em 2013, e, em 2015, a doença se espalhou por outros órgãos, mesmo um ano após sua remissão. Segundo comunicado publicado na página do grupo, Sharon estava “cercada de pessoas queridas, incluindo os Dap-Kings” no momento em que morreu, na sexta-feira.

Sharon eternizou sua voz em sete discos, acompanhada sempre pelos companheiros de jornada. O sucesso estrondoso veio com o álbum citado acima, lançado em 2007, após os Dap-Kings gravarem como banda de apoio o clássico Back to Black, de Amy Winehouse. Mas antes de gravar seu primeiro trabalho, Sharon trabalhou por um longo tempo em uma prisão de Nova York.

Com seu poder, a cantora entoou canções viscerais em interpretações repletas de emoção. No palco, Sharon era emocional e doce, conquistando o público com suas danças. Faixas como “I Learned The Hard Way”, “People Don’t Get What They Deserve”, “Longer and Stronger” e “Stranger To My Happiness” mostram a versatilidade dela que vai do funk ao soul mais profundo com a mesma emoção.

Este ano, parte da batalha da cantora contra o câncer virou o documentário Miss Sharon Jones!, dirigido por Barbara Kopple. Sem previsão de estreia no Brasil, o filme, que também mostra a preparação para o lançamento do disco Give The People What They Want, já está disponível em DVD no site da gravadora Daptone Records.

Sharon viveu intensamente seus 60 anos, e deixou uma bela coleção de músicas que fazem com que sua voz nunca se cale.

“Longer and stronger, that’s how I live
The more I get, the more I got to give
Fifty years of soul gone by and fifty more to come
You think you’ve seen something
But, lord, I’ve just begun”

Sobre o Autor

PH Rosa
Jornalista, autor de contos que nunca viram a luz do dia, viciado em música e comprador compulsivo de livros, discos e tênis. Se diz bom amigo, mas prefere ir ao cinema sozinho. Ama descobrir novos sons e escrever sobre canções que causam arrepio.

Comentários
A Qualquer Custo – Crítica
sexta-feira, 17h22
A Qualquer Custo – Crítica

Onde Os Velhos Não Têm Vez Direção: David Mackenzie Elenco: Jeff Bridges, Chris Pine, Ben Foster Roteiro: Taylor Sheridan É necessário um tipo especial de pessoa para compreender a violência. Muitos conseguem…

Ver Post
Ressaca Lollapalooza 2015 – Show Review – Interpol
sábado, 19h03
Ressaca Lollapalooza 2015 – Show Review – Interpol

    Sou suspeita pra falar sobre um show que espero ansiosamente para ver de novo há sete anos. Quando o Interpol veio ao Rio na turnê solo do disco…

Ver Post
Quinta da Nostalgia: “Don Juan” e Vitaphone, o Primeiro Sistema Sonoro do Cinema
quinta-feira, 14h53
Quinta da Nostalgia: “Don Juan” e Vitaphone, o Primeiro Sistema Sonoro do Cinema

  Em Hollywood, no final dos anos de 1920, o cinema mudo tornou-se uma arte bem mais forte e madura. Embora, ainda chamado de silent movie, podemos afirmar que os filmes nunca…

Ver Post
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com