Nise: O Coração da Loucura – Crítica

1 vote, average: 5,00 out of 51 vote, average: 5,00 out of 51 vote, average: 5,00 out of 51 vote, average: 5,00 out of 51 vote, average: 5,00 out of 5 (1 votes, average: 5,00 out of 5)
You need to be a registered member to rate this post.

 

nise_o_coracao_da_loucura_critica

Direção: Roberto Berliner

Elenco: Glória Pires, Julio Adrião, Flávio Bauraqui, Fabrício Boliveira e Roney Villela

Roteiro: Flávia Castro, Mauricio Lissovski, Maria Camargo, Chris Alcazar , Patrícia Andrade, Leonardo Rocha e Roberto Berliner


Nota: 5 de 5 estrelas


Nise: O Coração da Loucura é um filme forte, denso e consequentemente com bastante carga dramática. Temos a biografia de Nise da Silveira, uma médica psicanalista, que após sua prisão, volta a trabalhar em um hospital psiquiátrico, no subúrbio do Rio de Janeiro.

O filme não relata os motivos que levaram ao cárcere, mas a doutora demonstra honestidade e transparência durante toda história, fica aí minha dúvida e curiosidade.

Baseado em fatos reais, se trata de um drama que relata esta volta ao trabalho, mas nada está como era antes. E o hospital? Em estado de calamidade.

Logo no início do filme podemos perceber que a psiquiatra terá uma longa e dura tarefa pela frente, além de muita maldade para driblar.

Apesar de todo tempo presa, Nise estudou e se modernizou na profissão, portanto irá discordar muito com os colegas de trabalho e suas visões mais retrógradas.

Uma história de uma mulher guerreira, iluminada e a frente de seu tempo, que irá lutar sozinha contra torturas e os mau tratos aos pacientes que sofrem de esquizofrenia. Contra a choque, lobotomia e outros “tratamentos “ Nise faz uma revolução usando a arte, paciência e liberdade

Os pacientes apresentam melhoras significativas através da terapia ocupacional, principalmente da pintura. As obras produzidas dentro de um hospital psiquiátrico abandonado são reais e chegaram a chamar a atenção do critico de arte mais famoso do período.

Esta nova forma de se expressar dos doentes em tratamento chega a virar tema para exposição, o que desagrada os outros médicos do hospital, que tentam boicotar todo trabalho realizado.

O filme tem cenas arrepiantes aonde podemos perceber seres humanos realmente se comportando como animais, no mais selvagem dos extintos. Palmas para as atuações que estão de tirar o chapéu e as cenas de surtos psicóticos extremamente bem produzidas .

Este é um filme bem delicado, que traz uma mensagem bem direta : como o amor pode transformar vidas, até mesmo de doentes em estados considerados “terminais” e como por um outro lado o ser humano pode ser ruim e só pensar em si mesmo. Traz uma bela reflexão sobre respeito e psiquiatria em geral.

Por se tratar de uma história real, o filme finaliza de uma maneira bem curiosa , que é trazendo um bate papo com a verdadeira Nise da Silveira, brilhantemente bem interpretada por Glória Pires.

 

Sobre o Autor

Jéssica Lopes

Comentários
Elton John Faz Show Protocolar, Mas Emociona no Rock in Rio
segunda-feira, 17h51
Elton John Faz Show Protocolar, Mas Emociona no Rock in Rio

  É desnecessário discorrer sobre Elton John. O sucesso de sua carreira, que compreende mais de cinquenta anos e dezenas de hits, fala por si só. Durante os anos, John…

Ver Post
Ressurreição – Crítica
sexta-feira, 17h20
Ressurreição – Crítica

  Direção: Kevin Reynolds Elenco: Joseph Fiennes, Tom Felton, Peter Firth e Cliff Curtis Roteiro: Paul Reynolds e Paul Aiello Nota: 4,5 de 5 estrelas   Uma história já “batida”…

Ver Post
Game of Thrones: Notaram Algo de Diferente na Abertura?
segunda-feira, 22h00
Game of Thrones: Notaram Algo de Diferente na Abertura?

A grande riqueza de Game of Thrones pode ser vista até nos mínimos detalhes, como podemos notar nos créditos iniciais do décimo (e último) episódio da sexta temporada. Após o…

Ver Post
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com