Lucy

0 votes, average: 0,00 out of 50 votes, average: 0,00 out of 50 votes, average: 0,00 out of 50 votes, average: 0,00 out of 50 votes, average: 0,00 out of 5 (0 votes, average: 0,00 out of 5)
You need to be a registered member to rate this post.

 

Lucy no País das "Maravilhas".

Lucy no País das “Maravilhas”.

Que viagem! Essa é a primeira coisa que passou pela minha cabeça ao assistir Lucy nos cinemas. Emocionante, dinâmico e visualmente belo, a atual empreitada de Luc Besson parece ser em alguns momentos ridículo demais pra ser levado a sério, porém, acredito que esse seja o segredo para gostar do filme, não dê nenhuma credibilidade à ciência apresentada. A própria premissa, de que os seres humanos só usam 10% do cérebro, já foi descreditada por cientistas (é mito minha gente, não chorem.)

O fato pode deixar alguns espectadores decepcionados, mas posso afirmar que para mim não fez nenhuma diferença. Desde que você acredite que no universo da narrativa isso é verdadeiro e tem alguma finalidade fica muito mais fácil engolir a pseudo ciência apresentada.

Scarlett Johansson interpreta Lucy, uma estudante americana que vive em Taiwan e que, graças a um amigo não tão amigo, acaba se envolvendo com gângsters coreanos interessados em traficar uma nova e potente droga, CPH4.

Os acontecimentos do filme parecem uma versão mais assustadora e macabra de Alice no País das Maravilhas. A vida da jovem festeira toma um rumo inesperado e ela tenta de todas as maneiras com suas novas capacidades e a ajuda do cientista bonzinho, interpretado pelo Morgan Freeman, a virar o jogo e impedir que seus sequestradores machuquem mais pessoas.

Considerações finais: Lucy foi uma surpresa, porque esperava muito mais ação do que ficção científica, e quem assiste ao filme com essa mentalidade pode ficar decepcionado, pois quando a protagonista começa a atingir as mais altas porcentagens de seu cérebro, ela vai se tornando cada vez mais onipotente e onipresente na história, se distanciando da ideia de um super-herói e se aproximando da figura de um Deus.

 

Sobre o Autor

Roberta Figueiredo
Formada em Comunicação Social, produtora independente de cinema, respira conhecimento e se alimenta de cultura. Ariana, teimosa, gosta de caminhar na praia e fazer maratonas no Netflix. ;-)

Comentários
A Travessia – Crítica
sexta-feira, 20h13
A Travessia – Crítica

Andando na corda bamba Direção: Robert Zemeckis Elenco: Joseph Gordon-Levitt, Ben Kingsley, Charlotte Le Bon Nota: 3 de 5 estrelas Já foi dito que o que separa a vida da…

Ver Post
Grace & Frankie: Quando a Expectativa é Maior do que o Resultado
terça-feira, 15h45
Grace & Frankie: Quando a Expectativa é Maior do que o Resultado

Eu super esperava que Grace & Frankie fosse espetacular, que me prendesse no primeiro episódio, mas infelizmente não foi assim. Fui persistente e continuei assistindo, pois uma parte de mim…

Ver Post
Rio de Janeiro e Nova Orleans Dividem o Palco do Cinema: Crítica de Samba & Jazz
terça-feira, 14h23
Rio de Janeiro e Nova Orleans Dividem o Palco do Cinema: Crítica de Samba & Jazz

  O primeiro pensamento que surge depois de sair da sessão do filme Samba & Jazz é: “Como isso nunca foi pensado ou documentado antes?”. Que maravilha ver uma ideia…

Ver Post
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com