Caçando Sonhos – Crítica de Foxcatcher

0 votes, average: 0,00 out of 50 votes, average: 0,00 out of 50 votes, average: 0,00 out of 50 votes, average: 0,00 out of 50 votes, average: 0,00 out of 5 (0 votes, average: 0,00 out of 5)
You need to be a registered member to rate this post.

 

Crítica de Foxcatcher-

 

Alguns sonhos são grandes demais para certas pessoas. Crianças são ensinadas desde cedo – um tanto ingenuamente – que podem alcançar qualquer coisa que desejarem. Isto é uma mentira. Vejam só o exemplo de John E. du Pont: nascido dentro de uma família milionária, du Pont tentou desde cedo conquistar uma medalha olímpica em diversas categorias. Mas o que sobrava a du Pont em desejo e vontade, faltava-lhe em talento. Du Pont nunca conseguiu competir em uma Olimpíada e seu sonho de ouro permaneceu apenas isso: um sonho.

A história da obsessão de John du Pont (Steve Carell) é contada em Foxcatcher – Uma História Que Chocou o Mundo. O subtítulo grandioso é infeliz, servindo apenas para construir uma expectativa no expectador que, invariavelmente, o deixará insatisfeito perante a conclusão. A referida história chocante é o crime cometido por du Pont: em janeiro de 1996, ele assassinou o lutador medalhista olímpico Dave Schultz com três tiros. Dave era funcionário de John, membro da equipe Foxcatcher, um time de esportistas patrocinados por du Pont. John era um entusiasta de esportes olímpicos e, quando sua própria inabilidade o impediu de competir, ele decidiu dedicar sua vida e sua fortuna para montar uma equipe com os melhores esportistas do país. Sua grande paixão, especialmente nos últimos anos de sua vida, era a luta livre olímpica; foi isso que acabou aproximando du Pont de Dave Schultz (Mark Ruffalo) e de seu irmão, o também medalhista olímpico Mark Schultz (Channing Tatum).

Essa relação é o cerne de Foxcatcher. Mark começou a trabalhar para du Pont em 1987, enquanto se preparava para disputar as Olimpíadas do ano seguinte. No início, a relação entre ambos era boa: Mark era um dos principais lutadores da equipe Foxcatcher e um dos favoritos de John. Porém, com o tempo, essa relação começa a esfriar devido, principalmente, como mostra o filme, ao desiquilíbrio emocional de du Pont.

John era um filantropo e visto por todos como um dos maiores apoiadores da luta livre olímpica nos EUA. Porém, o filme deixa claro – e também é a opinião de Schultz, que escreveu um livro sobre o caso – que a filantropia de du Pont era exclusivamente em benefício de si próprio. John era um manipulador que usava seu dinheiro e seus recursos para manter-se proeminente entre os lutadores e conseguir trazer para si os méritos da vitória. Prova disso é que du Pont estava produzindo um documentário enaltecendo sua participação na conquista de títulos importantes e colocando si mesmo como um mentor para os lutadores – coisa que ele não era.

A história é, de fato, interessante – apesar de não ser chocante, como sugere o subtítulo –, mas Foxcatcher é, infelizmente, um desfile de oportunidades perdidas. Grande parte desse problema está na direção, de Bennett Miller – o mesmo diretor de Capote e Moneyball. Miller não sabe aproveitar alguns momentos do roteiro e acaba conduzindo o filme para um final insatisfatório. Um exemplo: após matar Dave Schultz, du Pont trancou-se em sua casa e montou guarda. Sua família era proeminente na indústria bélica e John possuía diversas armas de grande porte dentro de casa (incluindo um tanque) e a polícia temeu que ele começasse a atirar a qualquer momento. O cerco policial em volta da mansão de du Pont durou dois dias. Essa operação não foi mostrada no filme, apesar de diversas cenas mostrarem du Pont colecionando e recebendo armas na sua casa – essas cenas, após a omissão final, tornam-se desnecessárias e sem sentido.

É compreensível que Miller não esteja interessado em detalhes da história; o foco de Foxcatcher está na relação de ciúmes entre du Pont e os irmãos Schultz e na espiral de loucura de du Pont. Aos poucos, o milionário, que parecia inofensivo no início do filme, começa a apresentar sinais claros de desequilíbrio mental e, possivelmente, esquizofrenia. Como du Pont, Steve Carell está espetacular. O ator, mais conhecido por seus papeis cômicos, parece completamente à vontade na pele do filantropo. Tatum recebeu menos destaque que seus companheiros de elenco, mas isso é provavelmente devido à natureza de seu personagem: Mark Schultz é um homem bruto, o que fez Tatum optar por uma interpretação mais travada e agressiva. Não é o tipo de papel geralmente favorecido nas premiações, mas isso em nenhum momento tira o mérito de Tatum; ele está fantástico.

Os méritos de Foxcatcher – Uma História Que Chocou o Mundo levemente superam suas falhas. No final, o filme vale pelo personagem fascinante que é John E. du Pont e pela sua crescente loucura – o estado emocional de du Pont é intensificado pela excelente trilha sonora. Mesmo assim, é desapontador ver Miller ser indicado ao Oscar por esse filme. Eles tornou-se um queridinho da Academia que parece determinada a indicá-lo cegamente por qualquer filme que ele faça. Se depender de seus méritos nesse filme, o diretor, assim como seu protagonista, du Pont, continuará, apenas, sonhando com o ouro.

 

Trailer

Sobre o Autor

Daniel Lomba
Um entusiasta de cultura em todas as suas formas.

Comentários
Disney Anuncia Cronograma dos Próximos Lançamentos
quarta-feira, 4h54
Disney Anuncia Cronograma dos Próximos Lançamentos

  Dois dias após a bem-sucedida premiere de “Divertida Mente”, John Lasseter anunciou em Cannes o cronograma dos futuros títulos da Disney/Pixar até 2017. A lista de futuros lançamentos é…

Ver Post
Veja Quem Foram os Vencedores do Globo de Ouro 2016
segunda-feira, 1h13
Veja Quem Foram os Vencedores do Globo de Ouro 2016

  eu sou o leonardo dicaprio e a lady gaga é a vida pic.twitter.com/I24tTASrGt — Scream Queens Brasil (@screamqbrasil) 11 janeiro 2016 “Um show de erros e trêbados”   Como…

Ver Post
Som de Segunda: Top 5 – Amy Winehouse
segunda-feira, 18h33
Som de Segunda: Top 5 – Amy Winehouse

  23 de julho de 2011. Família reunida para comemorar o aniversário da avó. Entre temperos, barulho de panela, crianças correndo, e tias conversando, a TV ligada anuncia a morte…

Ver Post
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com