Som de Segunda: As Canções Emocionais de City and Colour


City And Colour

 

Se você nunca ouviu nada do City and Colour, é bom se preparar, porque boa parte das músicas são bastante profundas e emocionais. A banda é um projeto do músico Dallas Green, do Alexisonfire, cujo nome foi escolhido baseado em seu próprio nome (Dallas, a cidade, Green, a cor). Neste projeto, Dallas transforma suas dores, amores e alegrias em arte, capaz tocar e conectar almas por meio da música.

Sua carreira solo começou em 2005 com o lançamento do primeiro disco, Sometimes, álbum basicamente acústico, influenciado pelo folk, indo na contramão do trabalho com sua banda principal. Com o tempo, o trabalho como City and Colour foi crescendo, e Dallas lançou um segundo disco na mesma linha, Bring Me Your Love (2008), mas expandindo mais o trabalho, com adição de bateria e outros instrumentos acústicos. Nos álbuns seguintes, sua música começou a ficar mais elétrica, e o músico passou a excursionar com uma banda.

Em seu quinto disco, o recente If I Should Go Before You (2015), Dallas mantém suas raízes no folk, mas expande suas influências para o blues e a soul music. Mesmo com uma mudança sonora, ainda é possível perceber que Green continua afiado e profundo em suas letras, e esbanjando emoção em sua voz.

Nesta semana, o músico volta ao Brasil para se apresentar em São Paulo (dias 26 e 27 no Cine Joia), no Rio de Janeiro (Circo Voador, no dia 29), e em Belo Horizonte (no Music Hall). Se você vai ao show e quer entrar no clima, ou se quer conhecer um pouco mais sobre a banda, confira abaixo uma lista com cinco das músicas mais bonitas do City and Colour.


“Hello, I’m In Delaware” (Sometimes – 2005)

Nesta música do primeiro disco, Dallas canta sobre a distância em uma melodia triste, mas esperançosa, como a letra, que tem algumas pedradas para os mais sensíveis – cuidado piscianos! “How many hearts will die tonight?” É isso.


“As Much As I Ever Could” (Bring Me Your Love – 2008)

O título do disco foi extraído dessa música. Mas não vou comentar mais, porque essa canção não precisa de comentários.


“Northern Wind” (Little Hell – 2011)

Essa é uma das declarações de amor mais bonitas que já ouvi, com um belo arranjo e uma letra poética, composta por figuras que fogem das letras de amor tradicionais.


“Two Coins” (The Hurry and The Harm – 2013)

“Two Coins” tem uma letra obscura, mas com uma certa luz lá no fundo, como canta Dallas no refrão. Pessoalmente, esta é uma das músicas mais tocantes do artista. “I’ll explore the constellations til I find the cause I’m mean to hold”.


“Woman” (If I Should Go Before You – 2015)

Primeiro single a ser revelado do novo disco, a música provavelmente surpreende muitos fãs. Com cerca de nove minutos de duração, e uma letra curta, Dallas navegas por ritmos e climas durante toda a canção, que já tira seu fôlego logo no início do disco.

 

Sobre o Autor

PH Rosa
Jornalista, autor de contos que nunca viram a luz do dia, viciado em música e comprador compulsivo de livros, discos e tênis. Se diz bom amigo, mas prefere ir ao cinema sozinho. Ama descobrir novos sons e escrever sobre canções que causam arrepio.

Comentários
Replay Pipoca: Prêmios Grammy 2015 – Parte 1
domingo, 21h33
Replay Pipoca: Prêmios Grammy 2015 – Parte 1

  Os Prêmios Grammy 2015 começaram bem, mas com um enorme desperdício. A performance do AC/DC (com Chris Slade de volta à bateria no lugar de Phil Rudd, que enfrenta…

Ver Post
Vida – Crítica
quinta-feira, 16h46
Vida – Crítica

Sem Vida Direção: Daniel Espinosa Elenco: Jake Gyllenhaal, Ryan Reynolds, Rebecca Ferguson Roteiro: Rhett Reese e Paul Wernick Imagine que você está em casa em algum sábado à tarde, sem nada para fazer,…

Ver Post
Going Clear – Crítica
terça-feira, 10h00
Going Clear – Crítica

Movendo Montanhas Direção: Alex Gibney Roteiro: Alex Gibney Nota: 4 de 5 estrelas Fé é indiscutível; todo pensamento racional e argumento embasado perde sua força sob o peso esmagador da crença. Muitos dos…

Ver Post